Havia, na Grécia antiga, dois tipos de mé-
dico; um cuidava dos escravos e o outro dos se-
nhores. Os escravos, originários de outros países,
não falavam a língua grega. Assim não havia ne-
nhum proveito em uma conversa entre o paciente
e o médico já que este, geralmente, só falava o
grego. Então o médico que cuidava dos escravos
não conversava com seu paciente, apenas exami-
nava-o, e com isso não desenvolveu a  "arte da
da conversa" como prática médica. Já que o mé-
dico que cuidava dos senhores tinha hábito, além
de examiná-los, inclinar-se sobre o leito para escu-
tar o que o paciente dizia. Inclinar-se, "inclinare",
clinicare", clínica, eis a origem do termo "clínica
médica".